Frente ao tempo, lembramos o conto de Jorge Luis Borges  “El Jardin de los senderos que se bifurcan (1956)”, para pensar as bifurcações perpétuas que se abrem para inúmeros futuros. Como no conto, podemos não existir na maioria dos tempos percorridos, mas acreditamos em uma rede crescente e vertiginosa de processos divergentes, convergentes e paralelos, formando uma trama de momentos que se aproximam e se bifurcam, abarcando todos os futuros possíveis.  Com a devida apropriação: se nos propomos a produzir  arte, e se nos propomos a produzir encontros, alguém pensou que poderíamos nos bifurcar em um único presente? Mesmo sabendo que só no presente ocorrem os feitos, as imagens e as projeções de futuros, sentimos com densidades diferentes, mesmo estando juntos.

Artistas participantes: Mirieli Costa, Maristela Moraes, Jorge Gularte, Lisianne Gonçalves, Daniela Quiroga, Ricardo Garlet, Tatiana Vinadé e Cleandro Tombini.

Curadoria: Rebeca Stumm

Local: Sala Claudio Carriconde, Centro de Artes e Letras, UFSM

Data: 22 a 30 de novembro  de 2012.